Òsányìn – O proprietário do mistério das plantas

RESUMO: A manipulação das ervas e suas propriedades é sem dúvida uma disciplina essencial para o culto de Ifá e Òrìsà. Esta prática está envolvida em quase todos os ritos, ela é de suma importância para potencializar sua eficácia. Neste trabalho vamos detalhar alguns aspectos importantes do culto ao Òrìsà Òsányìn e o uso de suas habilidades no contexto religioso.

 

Trabalho publicado na Revista Ọlọ́run em Dezembro/2013

 

INTRODUÇÃO

Òsányìn é uma Divindade relacionada com a magia curativa, ele é conhecido como Òsányìn Alágbo, ou seja, o dono do pote da medicina, detentor do Awo Ewé (segredo da vegetação) que permite despertar as propriedades físicas e espirituais contidas nas diversas plantas empregadas no culto, vale ressaltar, que além das plantas, outros elementos podem ser utilizados, como sementes, favas e raízes.

A Ele foi dado à função de manipular essa energia, criando então misturas para os mais diversos fins.

Segundo Ifá, as plantas estão organizadas em quatro compartimentos, de acordo com suas funções, são eles: aráguaterra e fogo. Essa classificação serve para entender o objetivo principal de cada uma delas. Por exemplo, as do ar, servem para dar movimento; as da água para acalmar e limpar; as da terra para trazer firmeza ou concretizar algum procedimento e as do fogo para proporcionar transformação. Dessa maneira podemos facilmente encontrar quais plantas tem relação com os Òrìsà, visto que da mesma maneira que elas estão associadas aos elementos da natureza, as Divindades também estão. Lembrando que alguns Òrìsà tem relação com mais de um elemento especifico.

Por algum equivoco no entendimento da função de Òsányìn, ele é conhecido como proprietário de todas as folhas, contudo, essa visão não está em alinhamento com sua função real. Òsányìn deve ser entendido como um onísègùn (médico herborístico), ou em outras palavras, ele é um especialista na produção de magias e remédios baseados na vegetação.

Outra função importante gerenciada por Òsányìn é o preparo de misturas com o propósito de sacralizar algum elemento ou ritual especifico. Por exemplo, é muito comum nos ritos religiosos produzir assentamentos de Òrìsà[i], todos os elementos neles empregados precisam ser sacralizados e para isso é necessário à utilização de um preparo de ervas relacionada com o Òrìsà em questão.

Normalmente tal preparo é chamado de omi èrò (água calmante), e sua composição é especifica para cada Òrìsà. Contudo após realizar pesquisas em algumas sociedades de culto aos Òrìsà eu encontrei no Ilê Axé Nagô Kóbi o termo omi àse (água do poder ou realização) que me pareceu mais adequado à função deste preparo.

O termo omi èrò, no meu entender deve ser aplicado aos preparos com fins calmantes ou para trazer equilíbrio. Neste caso o banho utilizado para o ritual de ebori[ii] é assim identificado.

Como podemos ver é praticamente impossível negligenciar o culto a Òsányìn, já que é sua responsabilidade permitir que os assentamentos venham a ganhar vida. Vale observar é claro, que não basta utilizar apenas os preparos para obter a fixação do àse de um determinado Òrìsà no assentamento. Ifá ensina que todos Òrìsà possuem elementos que atraem sua atenção, por exemplo: O óleo de dendê, elemento muito utilizado e conhecido no meio religioso, atrai a atenção de Èsú, por isso, sempre que desejarmos invoca-lo, faremos uso desde elemento. As plantas por sua vez, estão da mesma maneira ligadas aos Òrìsà, e por isso, lavar os objetos com o preparo adequado, atrai para eles a atenção da Divindade, é por esta razão que as utilizamos.

 

AS PLANTAS SÃO SERES VIVOS

Segundo Ifá, as plantas e folhas são seres viventes, essa afirmação parece ser bastante obvia, mas ela guarda um ensinamento mais profundo.

Ifá ensina que é possível estabelecer comunicação com os espíritos que habitam os vegetais, porque eles possuem consciência. Essa comunicação serve para entender melhor sua função e obter um resultado mais significativo de sua utilização.

Através de um ritual especifico utilizando o Odù Ifá Òkànrán Otúrúpòn, é possível “falar” com esta consciência. É claro que essa comunicação pode ser feita por outros meios.

Esse ensinamento é importante para que possamos entender como são misteriosas as habilidades do culto a Òsányìn.

 

ÒRUNMÌLÀ E OSÁNYÌN

O culto de Ifá tem forte relação com Òsányìn. Muitos relatos em diversos Odù Ifá demonstram a interação entre eles. Como um dos princípios do Culto de Ifá é a cura de doenças dentro de um contexto amplo, ou em outras palavras, curar os mais diversos males que assolam os homens, as habilidades de Òsányìn são frequentemente utilizadas pelos sacerdotes de Ifá.

Porém Ifá expande a utilização da sabedoria de Òsányìn, enquanto que além de curar a doença, Ifá sugere formas para evitar que a mesma volte a acontecer. Vale ressaltar que o termo doença aqui utilizado deve ser entendido como qualquer problema que gere sofrimento ao homem.

Dentro deste contexto Ifá ensina que não adianta simplesmente conhecer a cura, mas do que isso é preciso combater as causas. Sendo assim associar a prática oracular com a prática herborística é essencial para o bom funcionamento de uma casa religiosa.

Outro ponto importante que une tais praticas é o emprego de ofò àse, ou seja, pequenos Òríkì[iii] quem tem a função de despertar o poder contido nas plantas. No corpo literário de Ifá, é possível encontrar tais textos para mais diversas finalidades. Veja um exemplo de um pequeno Òríkì de Òsányìn que confirma as explicações acima:

 

Iba Òsányìn. Saudamos Òsányìn.

Iba Oni awo ewé. O dono do segredo das ervas.

Ko si Ku. Nos livre da morte.

Ko si Arun. Nos livre da doença.

Ko si Akoba. Nos livre das coisas negativas.

A dupe Alàgbo. Obrigado dono da medicina.

Àse

 

Outro exemplo:

 

Ti igi. Com uma arvore.

Ti igi. Com uma arvore.

Alàgbo di ye´ra. O dono do pote da medicina, nos da saúde.

Àse.

 

A UMBANDA E OSÁNYÌN

Tradicionalmente a Umbanda não interage diretamente com as Divindades Yorùbá, por esta razão o culto a Òsányìn foi absorvido e representado pela linha dos Caboclos. Esta entidade é associada às matas e florestas, e por isso ficou a cargo dela representar a função de curandeiro, que no culto de Ifá e Òrìsà é representado por Òsányìn. Todavia tal assimilação não tira a validade dos rituais feitos dentro da Umbanda, porque a essência e objetivo são os mesmos. Aqui vale alertar apenas que é necessário ampliar a conhecimento sobre as ervas.

SASÁYÌN

Sasáyìn é o nome dado a um ritual especifico realizado em ocasiões especiais, com objetivo de produzir banho ritualístico. Existem muitas formas de realizar tal ritual, como Ifá ensina, não há uma forma correta. Porém podemos aqui mostrar um resumo de como poderia ser feito.

Neste procedimento é empregado o uso de Òríkì para Òsányìn, bem como para cada planta ou folha utilizada. Além disso, qualquer outro elemento envolvido no processo, também é consagrado. Por exemplo, a água deve ser sacralizada e a Divindade invocada para tanto é Òsun. Como podemos notar dentro da mecânica que rege os rituais, nenhuma Divindade aparece como absoluta, cada uma delas possui suas atribuições especificas, sendo assim devemos fazer uso dessas habilidades com o objetivo de dar máxima eficácia aos procedimentos.

Para extrair a seiva das folhas devemos quina-las[iv] ou soca-las em um pilão. Não é indicado para fins de omi èrò ou omi àse, ferver ou triturar as folhas, pois isso altera suas propriedades.

O resultado dessa extração representa o sangue das plantas, lembrando que os vegetais são seres viventes. Vale ressaltar, no entanto que sua função é diferente do sangue animal, ou seja, um não substitui o outro.

 

CONCLUSÃO

Mesmo que os procedimentos envolvidos no culto do Òrìsà Òsányìn sejam consideravelmente complexos, é importante que toda comunidade de Ifá e Òrìsà ampliem seus conhecimentos sobre o tema. Da mesma maneira que um remédio cura, ele também pode ser prejudicial, se usado de forma errada, em outras palavras, misturar ervas a esmo, sem objetivo ou ainda, sem deter o conhecimento necessário sobre suas funções, pode causar problemas difíceis de serem resolvidos.

É verdade que a assimilação destas praticas podem estar sofrendo pela perda do conhecimento tradicional existente no culto Afro-Brasileiro. Precisamos fazer um esforço para resgatar ou ainda, implementar a utilização dos preparos baseados nas plantas e folhas, porque essa prática é um dos alicerces da religião.

Por Bàbáláwo Ifádámiláre Agbole Obemo..

 


 

[i] Assentamentos são objetos religiosos que visam fixar e centralizar o culto a uma determinada Divindade. Eles facilitam a comunicação entre os planos de existência, de uma forma simples, eles são portais que servem para receber pedidos e oferecimentos dos seguidores.

[ii] Ebori, ritual voltado a potencializar as capacidades pessoais, culto voltado à personalidade e individualidade humana.

[iii] Nome dado a orações que visam invocar uma energia ou Divindade especifica a fim de alcançar um objetivo.

[iv] Processo que envolve esfregar as plantas umas nas outras com as mãos.